Como funciona um solenoide?

Solenoide é apenas um termo usado para bobina de fio, como um eletroímã. Ele se refere a qualquer dispositivo que possa converter energia elétrica em mecânica, usando solenoide.
Consiste de uma bobina feita com um fio fino e enrolada em um núcleo metálico. Quando a corrente elétrica passa por ele, é produzido um campo magnético.Os solenoides são muito utilizados na industria, em eletrodomésticos de todos os tipos, em eletrônica embarcada (automotiva, aeronáutica e náutica) além de muitos outros campos em que a eletrônica esteja presente.

Esse aparelho cria por meio de um campo magnético uma corrente elétrica e utiliza esse campo para criar movimento linear com aplicações comuns, como ligar um interruptor, da mesma forma acontece com a ignição de um veículo, ou válvula.

Funcionamento:
A bobina de fio no formato em espiral em volta de um pistão é chamada de solenoide. Da maneira que acontece com todos os eletroímãs, o campo magnético é criado quando a corrente elétrica passa pelo fio. mas eles têm vantagens em relação aos imãs permanentes, afinal podem ser desligados através da aplicação de uma corrente, fazendo-os úteis como interruptores e como válvulas, sendo totalmente automatizados.

Funcionamento da válvula solenoide:
Em uma válvula de atuação direta, a corrente elétrica vai ativar o solenoide, puxando em turnos um êmbolo ou pistão que teria que bloquear o fluído ou fluxo de ar. Em algumas válvulas, como as usadas para automação industrial, o campo eletromagnético não agirá diretamente para abrir o condutor. Já em válvulas operadas pelo piloto, o solenoide move o êmbolo, de forma a criar uma pequena abertura, assim a pressão que vai passar por lá é que opera a vedação da válvula.
Em todos os casos, um fluxo de corrente elétrica permanente é preciso, pois o campo magnético se dispersa, assim que a corrente é interrompida, e a válvula retorna na sua posição de fechamento original.

 

Como testar um Solenoide

É necessário:

•Solenoide

•Multímetro digital

•Fios para conexão

Instruções

1) Verifique as condições do dispositivo e certifique-se de que os fios não estão rompidos ou corroídos. Veja também todos fusíveis que levam ao componente e a montagem – se ela estiver incorreta, pode resultar em redução da potência. Questões ambientais, como calor excessivo ou corrosão, afetarão a operação do solenoide. Corrija qualquer problema encontrado durante essa verificação e, se o solenoide não funcionar, siga para o passo dois.

2) Desconecte a fonte de energia do solenoide. Utilize um multímetro digital (ajustado para medir volts) para verificar a tensão que alimenta o componente. Faça isso conectando uma ponteira na fonte e a outra em um ponto de aterramento. Alternativamente, desconecte o solenoide do seu componente (entrada, válvula, etc.) e aplique a energia. Se estiver funcionando, o dispositivo magnetizará – o que pode ser verificado segurando uma chave de fenda perto do componente. Se o solenoide operar, ou o magnetismo for detectado, você terminou. Se a fonte estiver com problemas, identifique-o e conserte-a. Siga para o passo três.

solenoide-1

3) Verifique se o solenoide está na temperatura ambiente (23ºC) ou acima dela e, com a peça desconectada da fonte de energia, meça a resistência. Na posição aberta ou inativa, a medida deve ser de 0,2 a 1,5 ohm, de acordo com o tamanho do dispositivo. Verifique as especificações do componente testado. Em seguida, confira a resistência com ele fechado ou ativo. Esse valor deve ser muito maior, variando de 10 a 110 ohm, novamente de acordo com o solenoide. Se não conseguir removê-lo para esses testes, as medidas podem ser feitas com o multímetro ao se medir os fios no local, sem energia. Para a medida inativa, coloque as ponteiras do multímetro entre os terminais preto e branco do solenoide. Para a medida ativa, meça entre os fios vermelho e preto. Se o componente não possuir os fios específicos citados aqui, será necessário olhar o esquema elétrico, localizado no manual do proprietário.

COMPARTILHE!