LED em Galpões, saiba sua eficiência

Iluminar um galpão é um enorme desafio. É preciso um sistema de iluminação eficiente e econômico. Pois, além da altura, muitas vezes acima dos 8 metros, as luminárias precisam ser resistentes para trabalhar em altas temperaturas por um longo período de horas.

Geralmente, as luminárias escolhidas para este tipo de aplicação são as de vapor metálico. Entretanto, esse tipo de tecnologia possui algumas limitações como a necessidade de um reator externo, uma vida útil curta com o comprometimento do fluxo luminoso, responsável por ocasionar frequentes reposições e paradas de manutenção. Ou seja, este tipo de luminária convencional vem se mostrando pouco eficiente para galpões, pois tornou-se sinônimo de gastos com manutenção, além dos já altíssimos custos com o consumo de energia elétrica.

Na busca por um investimento que ofereça um retorno rápido, com eficiência, economia, e que ainda solucione todos os desafios enfrentados pelas indústrias, a iluminação de LED tornou-se uma solução inteligente para empresas que querem fazer um investimento à longo prazo. Isso porque, um galpão ou grandes áreas de trabalho que utilizam um sistema correto de iluminação, tem como um dos ganhos o aumento da produtividade.

Grandes espaços requerem alta intensidade luminosa com um tempo de vida útil longo, com menos necessidade de pausas para manutenção e com índices de iluminação que sejam adequados para a visualização do ambiente, permitindo que as pessoas vejam, se movam com segurança e desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente, precisa e segura, sem causar fadiga visual e desconforto, como previsto pela Norma ABNT 8995.

Modernas e flexíveis as lâmpadas em LED do tipo industrial que atingem uma vida útil de mais de 100.000 horas, o equivalente, em média, a 12 anos, se utilizada 24 horas por dia, durante 7 dias por semana. Isso tudo significa que o LED proporciona mais economia a longo prazo e menos dor de cabeça com manutenção, pois com essa tecnologia é possível reduzir em média 75% dos gastos com energia elétrica e até 90% do custo de manutenção dos equipamentos.

 

COMPARTILHE!