Saiba como Escolher um Ventilador

Cada aparelho atende uma necessidade individual. Se você está pensando em escolher um ventilador como opção para se refrescar com a chegada do calor nós vamos te ajudar a fazer uma boa escolha;

Seja como a única forma ou como acessório ao ar-condicionado, o ventilador está disponível no mercado em diferentes modelos, para necessidades individuais e espaços coletivos.

Existem três tipos de ventilador: os de teto, os de parede e os portáteis, que podem ser de mesa ou de pé. A diferença está no alcance e na direção do vento. Os de teto produzem brisa mais uniforme, espalhada por todo o cômodo e gerando climatização, enquanto o foco “forte” fica concentrado na região imediatamente abaixo do aparelho. Os modelos de parede, por oscilarem, produzem mais ventilação, enviando o ar frio a uma distância maior, porém as vezes se torna desconfortável por possuir um jato forte e direcionável. Para um maior conforto devem ser instalados de modo a acentuar a tendencia de ventilação do ambiente, para que o vento artificial não concorra com o natural que entra pelas aberturas do cômodo.

Ventiladores de mesa e de pé geralmente seguem a mesma lógica dos modelos de parede, porém possuem alcance menor. Sua aplicação geralmente se faz para uso pessoal enquanto os outros servem ambientes com muitas pessoas, como salas, quartos, salões de eventos dentre vários outros locais.

Espaço ventilado 

Em termos de área refrescada, os modelos de teto têm alcance médio entre 15 e 25 metros quadrados, e devem ser instalados com pelo menos 70 centímetros de distância entre a pá e móveis ou paredes no entorno, caso não seja respeitado esse espaço a peça se torna apenas decorativa no espaço.

Os modelos portáteis refrescam uma área de cerca de 12 metros quadrados. Os de parede podem chegar a 50 metros quadrados, mas o vento não é uniforme, e sim concentrado no ângulo de 90 graus de rotação do aparelho.

Como escolher 
• O número de pás do aparelho também influencia no desempenho: quanto maior o número, maior a capacidade de espalhar o vento. Mais que isso, no entanto, é preciso checar o ângulo de inclinação das pás, uma vez que ele determina a quantidade de ar movida, ou seja, de ventilação promovida.

• A velocidade de rotação é um fator importante, tanto pelo ruído quanto pelo conforto. Se as pás giram muito rápido, o vento acaba virando um jato, o que apesar de refrescar pode também incomodar o ocupante do cômodo – além disso, no caso de escritórios, faz os papéis voarem, por exemplo.

Manutenção 
A manutenção do ventilador deve ser feita a cada ano e meio, no caso de modelos nacionais, e a cada cerca de três anos para os importados. O mais importante é verificar se os parafusos estão bem presos e fazer o balanceamento, para não trepidar. Quando as peças não estão devidamente encaixadas o ventilador faz barulho e, nos modelos que têm luminárias, pode acabar fazendo alguma lampada queimar.

Para os ventiladores da casa de praia, a recomendação é escolher modelos específicos para áreas litorâneas, ou optar por aparelhos com a menor quantidade de ferro possível, por causa do desgaste causado pela brisa do mar.

COMPARTILHE!